O "molho" em Ortodontia.



Certa vez, eu li em um livro do executivo Jack Welch (lendário CEO da General Eletric), que existia um restaurante em Nova York que era sujo, que os garçons eram mal educados, que era mal localizado, mas que vivia lotado.

O motivo?


Tinha o melhor molho de tomate de pizza do planeta terra.


Infelizmente, não lembro o nome do restaurante e não sei nem se esta história é verdadeira. Faz muito tempo que eu li o livro e a narrativa pode não ter sido bem essa.


Mas para mim pouco importa, porque acho que este enredo é totalmente possível e crível. Afinal, quando o seu produto é muuuito bom, o marketing passa a ser absolutamente secundário.


Aliás, analisando com cuidado, podemos dizer que não adianta nada ter um bom marketing se o MOLHO não prestar.


Na Ortodontia, o nosso molho é o resultado do tratamento. O que o nosso paciente procura é um belo sorriso acompanhado de uma oclusão correta. Simples assim!


O desejo do produto ou serviço final é o que interessa. Pois podemos ser ultra bem tratados quando vamos comprar algo, mas se a essência da compra não funciona, já era. Toda boa impressão passa a ficar em segundo plano ou talvez em terceiro ou quarto.


Se adquirimos um pneu, relógio, carro, casa, cortador de unha ou um tratamento ortodôntico a expectativa é a mesma, queremos que o produto ou serviço seja bom em essência. De que adianta as caixas, embalagens, a música, o cafezinho, o ar-condicionado, um bom papo, se aquilo que a gente quer não serve?


O marketing em Ortodontia é importante?


Claro, e muito!


Mas sem o "molho", ou melhor, os "molhos" - um belo sorriso e uma correta oclusão - de nada serve.


Viva a Ortodontia!

90 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo