A remoção do aparelho


Você está satisfeito?

É com esta pergunta que se recebe a autorização para a remoção do aparelho ortodôntico. O tratamento chegou ao fim.


É hora de remover aquele que por tanto tempo só teve uma intenção: ajudar.

A reposição dos dentes para um lugar mais estético e estável foi possível graças ao tratamento ortodôntico e agora chegou o grande momento de encerrar este ciclo.


Para se chegar nesta etapa, certamente, já foi feito um “checklist” dos ítens obrigatórios para a finalização do tratamento. Requisitos estéticos, funcionais e oclusais devem estar aferidos, apreciados e equacionados. Acima de tudo o paciente deve estar satisfeito (e feliz).


O protocolo de contenção já está planejado e pronto para ser executado. Todas as

importantes informações repassadas. Não tem mais o que fazer. Só resta a remoção do

aparelho.


A remoção costuma ser rápida e sem intercorrências. Embora provoque um “estranhamento” no paciente, não costuma doer. Alicates especiais irão tornar esta tarefa simples e segura.


Um a um os braquetes serão removidos e o resto de resina remanescente será removido com brocas específicas para tal propósito. Removida a resina está na hora do polimento.


Impaciente, o nosso paciente não vê a hora de analisar o resultado de tanta expectativa. É bom lembrar que o dia da remoção do aparelho não é o melhor dia para averiguar o desfecho.


Gengiva um pouco inflamada, dentes desidratados e manchados não contribuem para causar o efeito positivo esperado.


Mas calma!


Nos próximos dias a exuberância da beleza do sorriso será mostrada pouco a pouco até atingir o seu ápice. É muito comum o paciente se decepcionar um pouco no momento da remoção do aparelho, mas há de se ter tranquilidade, pois já no momento da entrega das contenções removíveis, todas as dúvidas sobre a qualidade do resultado já estarão dirimidas.


É hora de se alegrar e dizer com muita intensidade:


Viva a Ortodontia!

98 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo