Cirurgia antecipada e benefício antecipado (parte I).


Imagine que você acaba de descobrir que o seu paciente sofre de uma forma severa de Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) e que traz sérios ricos para a sua saúde (e de vida).

O paciente relata que não se adapta ao suporte ventilatório de pressão contínua (CPAP — Continuous Positive Airway Pressure) e caso continue sem tratamento corre risco de morrer.


O que você faria?


Indicaria um aparelho intrabucal?

Solicitaria para ele insistir com o CPAP?

Indicaria uma cirurgia ortognática?


Cuidado, você só tem uma chance!


Nesta situação não se tem muito o que pensar. Precisa-se agir imediatamente.

O aparelho intrabucal não está indicado por causa da severidade do problema. Eles são bem aceitos para AOS leves, podendo ser tentados nas moderadas. Nos casos graves eles estão contra-indicados, pois não conseguem solucionar o problema.


A insistência com o CPAP não seria uma boa ideia, pois os pacientes fazem vários testes para tentarem se adaptar ao dispositivo. Embora o CPAP seja considerado uma terapia padrão ouro (funciona em mais de 90% dos pacientes), para aqueles que não suportam o uso não adianta insistir.


A última opção, a cirurgia ortognática, seria a correta. Considerada também como padrão ouro (funciona em 86% dos pacientes) , esta seria a única alternativa para o nosso paciente.


Daí surge uma dúvida: quando operar?


Como já foi dito, a necessidade é imediata.


Para uma necessidade imediata, resposta direta: rapidamente! Sendo mais claro,

imediatamente!


Ou seja, se o procedimento cirúrgico não pode esperar, começamos por ele. Teremos que inverter o protocolo da cirurgia ortognática, no qual a cirurgia terá que vir antes do tratamento ortodôntico (no protocolo usual é o contrário; a ortodontia vem antes da cirurgia).


Está estabelecida aí o conceito da “cirurgia antecipada” e do “benefício antecipado”. Acredite, foi exatamente isso o que aconteceu com um dos seus criadores, o Dr. Jorge Faber.


A cirurgia em primeiro lugar oferece ao paciente o benefício imediato que ele precisa.


Resta agora reposicionar os dentes nas suas posições corretas. Simples assim?


Quem conhece sabe que de simples este procedimento não tem nada!


Viva a Ortodontia!

120 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo